Páginas

Quem sou eu

Minha foto
CURRICULUM VITAE FRANCO BONANDINI Chef de cozinha internacional de origem italiana; Sommelier. Lugar de nascimento: Verona, Itália. Data de nascimento: 03/07/1967 Casado. EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL: 03/2008 até o momento: Chef. Restaurante Rosmarino, São Paulo/SP, Brazil. 08/2007 a 01/2008 Sb-chef Veneza, Restarante Antico Martini, Itália. 03/2007 a 08/2007 Sub-chef New York, Eventos Grupo Cipriani. 2004 até 03/2007 Chef. Restaurante Piselli. São Paulo/SP, Brazil. 2003 Chef. Restaurante Riso e Altro. São Paulo, Brazil. 2002 Cozinheiro no Grupo Cipriani. Londres, Inglaterra (4 meses) 1998 Chef.Ristorante Ivo. Veneza, Itália. 1996 Cozinheiro no Ristorante Antico Martini. Veneza, Itália. 1992-96 Cozinheiro no Ristorante Do Forni. Veneza, Itália. 1989-92 Sommelier no Ristorante Ivo. Veneza, Itália. AWARDS/ACHIEVEMENTS: 2004, 2005 Piselli foi considerado “Segundo melhor Restaurante Italiano”, pela Revista Gula. EDUCATION: Curso de gastronomia italiana com Marzella Hazan. 1989 Curso de Sommelier no Peschiera del garda, Itália.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

BY FRANCO BONANDINI



RISOTO DE PRESUNTO PARMA E FIGO
 
INGREDIENTES
(SERVE 4 PORÇÕES)
  • 100g de manteiga
  • 50ml de azeite de oliva
  • 50g de cebola branca picada
  • Uma pequena quantidade de sálvia, alecrim e tomilho
  • •200g de presunto Parma fatiado
  • 500g de arroz italiano carnarolli
  • 375ml de vinho branco seco
  • 1 litro de caldo de carne
  • 150g de parmesão italiano Grana Padano
  • 6 figos frescos, sem casca, fatiados

          
MODO DE FAZER
 
      1. Coloque em uma panela metade da manteiga, o azeite, a cebola e a mistura de sálvia, alecrim e tomilho.


     
    2 e 3. Acrescente o presunto e o arroz. 




     
4, 5 e 6. Refogue e jogue o vinho branco, para flambar a receita. Depois que secar, adicione o caldo de carne, mexendo sempre, por 15 a 20 minutos.
 
 
 
 
 
 

7. Quando o arroz estiver al dente, coloque os figos fatiados e mexa até secar completamente.



8. Retire do fogo, regue com azeite e jogue o queijo par mesão. Sirva com figo e presunto Parma.
 



 
Revisitado
O tradicional risoto leva presunto Parma e figo na receita criada pelo chef Franco Bonandini. É o clássico com toque personalizado.


FOTOS : DANIELAR ATANGY/ QUEM ASSISTENTE: RENATA AIELLO

 

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

DOVE MANGIARE CICCHETTI A VENEZIA

Non è vero che Venezia è una città cara, esistono anche diversi locali dove si può spendere poco e mangiare ottimo cibo grazie ad un'abitudine locale: il giro dello spritz accompagnato da cicchetti e polpette in genere preparati in casa, spesso nella stessa cucina e dallo stesso cuoco, che prepara pietanze ben più costose, se consumate al tavolo.

Il giro dello spritz con i cicchetti e le polpette è a Venezia una vera e propria istituzione: si comincia intorno alle 18, 18:30, quando si finisce di lavorare e si passa da un osteria all'altra (da un bacaro all'altro direbbe un veneziano) e in ognuno si ordina uno spritz o un calice di vino e qualche cicchetto (gli affezionati sanno a memoria dove ordinare quel preciso cicchetto e quelle precise polpette).

E così quando si cercano pareri su dove mangiare i migliori cicchetti e le migliori polpette a Venezia, i consigli si sprecano. Molto gettonata l'area di Rialto dalla parte del mercato, in cui si trovano alcuni dei locali più famosi per i cicchetti: Il Muro per la frittura, Ruga Rialto per le tartine col pesce crudo, Dai zemei per le bruschette fantasia... Per mangiare delle ottime polpette, famose in tutta la città, c'è Alla Vedova, in sona Strada Nuova.

Qualche spunto in più per un giro degli spriz a base di cicchetti, polpette e novità, lo trovate nei locali qui sotto.

chic...chetteria (San Marco)
Un concetto un po' diverso rispetto alla tradizionale osteria dove mangiare chicchetti e polpette. E' venuto ai gestori del ristorante La cusina, dell'Hotel Westin Europa e Regina. I cicchetti sono curati personalmente da Alberto Fol, chef del rinomato ristorante e sono decisamente più creativi della media. Ne sono un esempio: la capasanta arrostita con crema di cannellini e insalata di spinacini, o gli arancini di riso con emulsione di pomodoro al basilico.

Bentigodi (Cannaregio)
E' l'osteria del famoso chef Domenico, che prima gestiva il ristorante La Colombina. Qui si viene per mangiare alcuni cicchetti un po' fuori dal comune "alla spagnola". Domenico infatti non li chiama cicchetti ma "tapas", una specie di melting pot culturale tra sapori nostrani e iberici, tutti molto ben cucinati. Inoltre in questo locale c'è la garanzia di trovare semrpe un certo via vai di veneziani. Prezzi 1 o 2 euro.

Osteria ae botti (Giudecca)
Per mangiare cicchetti e polpette alla Giudecca, Ae Botti è un ristorante sobrio, elegante e molto curato che al bancone propone una serie di cicchetti tipici compresa una selezione di "polpette della nona" di vari tipi. Prezzi da 1 a 3 euro.

osteria al Diplomatico (Marghera)
Se invece vi trovate in terraferma, il posto migliore per un cicchetto come a Venezia è l'osteria al Diplomatico di Marghera. Cicchetti classici caldi, molto pesce, e anche la campana delle 11:30 che annuncia il risotto (ogni giorno con un ingrediente a sorpresa: pesce, salsiccia, formaggio...). Prezzi da 50 cent a 3 euro.

sábado, 8 de novembro de 2008

domingo, 2 de novembro de 2008

Temporada de Especialidades no Rosmarino
Qua, 29 de Outubro de 2008 10:54 Cléo Tassitani

Preparada pelo chef italiano Franco Bonandini, a temporada irá mostrar pratos para representar as especialidades da casa.



Só quem costuma freqüentar o charmoso restaurante, localizado em Pinheiros, reconhece de perto o empenho com que as irmãs Stela Krempel e Ângela Amado conduzem o Rosmarino. Freqüentemente é possível encontrá-las circulando por entre as mesas, no almoço e no jantar, e, não raro, cumprimentando os clientes. Todos os detalhes são checados e ‘rechecados’. Ali podemos ver que existe paixão pelo que se faz e que o cuidado vai muito além do interesse comercial. O resultado é uma cozinha habilidosa, conduzida por elas e também pelo chef italiano Franco Bonandini, cuja “Temporada de Especialidades” será oferecida por um mês, a partir de 8 de novembro, em uma seleção de carnes defumadas, servidas como entradas, massas como prato principal, e sobremesas imperdíveis. Carnes defumadas no restaurante As carnes defumadas aparecem em duas entradas do cardápio. No “Salmon defumado ao molho de iogurte e ovas” e no “Presunto de Pato com Shitake Grelhado e Juliana de Verdes”. A explicação do chef Franco Bonandini para o processo, originalmente criado para conservar as carnes, é semelhante ao que era feito antigamente. Coloca-se no último andar do forno pedaços de madeira em brasa, em seguida, no segundo andar, um saco de gelo dentro de uma travessa e no primeiro andar as carnes a serem defumadas. O cardápio inclui também mais duas opções de entrada a “Bresaola com Grana Padano e Molho de Mascarpone e Rúcula, e “Carpaccio à Moda do Cipriani” . Pratos principais e sobremesasApós esse começo tentador, seguem os pratos principais com massas também preparadas na casa. As sugestões incluem o “Fiori Néri de Haddock ao Mascarpone e Dill” (massa feita com tinta de lula em forma de flor, recheada de Haddock com molho de mascarpone e dill) o Orecchiette Al Caprino, Damasco e Presunto Cru, o “Taglioline com Bottarga”, o “Ravióli de Pato aos Cogumelos e Azeite de Tartufo” e “Taglioline Al Nero Di Seppia”, com lulas frescas. As sobremesas no Rosmarino também surpreendem. Para compor o cardápio foram escolhidos típicos doces italianos como o Salame de Chocolate, o Tiramissu, a Pastiera de Grano e Cassata Siciliana. O Menu Temporada de Especialidades (completo) custará R$ 50,00 por pessoa – não inclui bebidas, couvert e taxa de serviço. Serviço:RosmarinoRua Henrique Monteiro, 44 - Pinheiros (11) 3819 3897

segunda-feira, 7 de abril de 2008

FRANCO NO ROSMARINO



O Chef veneziano Franco Bonandini, depois de uma estadia em New York, retorna ao Brasil e apresenta suas novas criações gastronômicas no restaurante Rosmarino.


Ao lado da proprietária, Stela, promovem noites agradáveis com um sabor mediterrâneo.

domingo, 10 de fevereiro de 2008


Franco Bonandini ofereceu uma degustação interessantíssima. Preparou um Tímpano, prato italiano de origem camponesa, que aparece em “A Grande Noite” (Campbell Scott e Stanley Tucci, EUA, 1996). No filme, a cena é assim: o Tímpano é servido num jantar . Enquanto todos se deliciam, a pessoa que esta à cabeceira da mesa ameaça o cozinheiro de morte. Os convidados ficam espantados, sem entender nada, e por fim é revelado com muita graça que e a ameaça deve-se ao fato de que o cara considera inumano alguém fazer uma comida tão saborosa. Mais relaxados, entre risos, abraços e beijos a festa recomeça e todos voltam à refeição.Pois é, comemos exatamente este prato que é, na verdade, uma grande torta recheada de macarrão, ovo, coração de galinha, lingüiça e molho de tomate. Foi muito especial, além de delicioso. Quem quiser ir ao Piseli vá, mas Franco já avisou: lá eles não servem Tímpano. Pena!

NO PISELI


No Piseli...